The Defining Chapter


Há um ano atrás fechava o ciclo de uma trilogia memorável. "The Hobbit: The Battle of the Five Armies" não é só o ultimo capitulo cinematográfico da obra de J.R.R. Tolkien, como o começo de mais uma aventura na Terra Média com Frodo. Agora com a prequela completa, é possível ver e desfrutar de toda uma história fantástica em seis filmes diferentes, todos realizados por Peter Jackson. Para juntar à colecção mítica.

Argo


Ben Affleck tem criado nos últimos anos um legado memorável como realizador. "Argo" é um desses brilhantes exemplos. Baseado em factos verídicos: um agente do CIA, Tony Mendez, foi responsável por resgatar seis americanos do Teerão enquanto um conflito eminente se desencadeava no Irão durante os anos 80. Intenso, bom e com um grande elenco: Bryan Cranston, John Goodman, Alan Arkin, Chris Messina, Kerry Bishé entre outros. Recomendo.

Big Hero 6

Com a aquisição da Marvel, os estúdios de animação da Disney deram asas à imaginação. Este filme de Don Hall e Chris Williams estreou em grande no ano passado tendo sido bem recebido por parte do público. Baymax não é um robô qualquer. Hiro Hamada podia ser apenas um entusiasta no mundo da robótica. A história destas duas personagens é um dos motivos para ver este filme. Recomendo.

Star Wars: The Force Awakens

Uma nova geração num universo familiar ao público deste filme. Desta vez foi J.J. Abrams a realizar este primeiro capítulo de uma nova aventura numa galáxia distante. "Star Wars: The Force Awakens" é tudo o que os fãs esperavam e não desaponta. Sim, é movie magic e sim respeita todo o legado de Star Wars. Queremos ver mais no futuro e ansiamos por novas histórias e novos conflitos. Com Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Adam Driver, Harrison Ford, Carrie Fisher entre outros grandes nomes da História intergaláctica. Adorei. Para ver em IMAX ou 3D.

Life of Pi


Vencedor de quatro Óscares da Academia, incluindo Melhor Banda Sonora e Melhor Realizador, "Life of Pi" é um filme visionário de Ang Lee baseado no livro de Yann Martel. A adaptação para o grande ecran é de David Magee. "A jornada de uma vida" pode ser um comentário geral para esta longa-metragem sobre a vida de um jovem que sobrevive a um náufrago com um tigre de bengala. No meio do Oceano Pacífico, Pi irá presenciar fenómenos incríveis que irão testar a sua fé. Um épico que vale a pena ver (e rever) no grande ecran. Recomendo o livro e este filme.

How to Get Away with Murder

Esta série agarrou logo a minha atenção desde o primeiro episódio. Um mistério, um crime e muitos segredos. Destaco Viola Davis no papel principal entre um vasto elenco surpreendente. Recomendo a todos os que gostam de resolver mistérios. Vejam.

The Unbearable Lightness of Being


Após ter lido a obra de Milan Kundera (com o mesmo título), decidi ver o filme de Philip Kaufman. Não é de todo uma fiel adaptação da obra literária mas toda a trama essencial do triângulo Tomas, Tereza e Sabina está presente. Recomendo aos leitores e aos fãs de Daniel Day-Lewis e Juliette Binoche.

Modern Family


Esta serie é muito vasta para ser descrita num breve comentário ou é inútil evitar os elogios que já muitos atribuíram a "Modern Family". A maneira de como os argumentistas usam o humor de maneira perspicaz e inteligente para construir uma família como tantas outras não é nada fácil. Já todos sabem que os actores são brilhantes e os momentos das suas personagens podem variar do tom cómico hilariante estridente a uma situação sensível e emotiva. Recomendável a todos os públicos pelo seu conteúdo, criatividade e confesso que é uma serie que consegue matar as saudades de casa (principalmente quando estou a trabalhar fora). Adoro e agradeço aos seus criadores Christopher Lloyd e Steven Levitan.

Jackie Chan's First Strike


Hollywood imortalizou as artes marciais com o trabalho de Jackie Chan no grande ecran. Este filme de 1996 é apenas um amostra de uma série de longas metragens que imortalizaram a destreza de Chan e abriram a curiosidade a muitos em explorar este género de cinematografia e acção. Para os fãs e não só.

The Hunger Games: Mockingjay - Part 2

Chega ao fim a saga "The Hunger Games". Com um twist no final e momentos intensos, Katniss Everdeen assume a responsabilidade de assumir uma rebelião contra o Capitólio e defender os quem mais ama. Recomendo para quem é fã da saga, dos livros ou simplesmente do primeiro capítulo desta história. Com Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Donald Sutherland, Woody Harrelson, Philip Seymour Hoffman, Julianne Moore e Elizabeth Banks. A revolução pela paz e o equilíbrio tem um preço.

The best teacher is experience.

Jack Kerouac foi responsável por me incentivar a ver este filme. Após ter lido uma das suas obras homónimas (com o mesmo título), este filme de Walter Salles não faz justiça a um livro tão denso mas deixa toda uma harmonia da escrita e da jornada de Sal Paradise com outros personagens míticos: Dean Moriarty, Marylou, Carlo Marx entre tantos outros. Aconselho para quem leu "On the Road" e a novos aventureiros que ainda não ficaram submersos pela escrita de Kerouac. Com Sam Riley, Garrett Hedlund, Kristen Stewart, Tom Sturridge entre outras surpresas no elenco.

The Big Bang Theory


Habituei-me a ter anualmente "The Big Bang Theory" como a sitcom garantida para ver nos dias de folga e nos jantares tardios. A oitava temporada da criação de Chuck Lorre e Bill Prady não desilude (óbvio) e de ano para ano, a comédia continua e estas personagens continuam a cativar e a impressionar. Adoro (e muito provavelmente já estou a visualizar a 9ª temporada). Recomendadíssimo desde sempre. Esta é a sitcom da década.

The Double


Ao adaptar esta obra Fyodor Dostoevsky (com o mesmo título), Richard Ayoade mostrou, mais uma vez, a sua versatilidade na realização. Gostei da complexidade da trama e do trabalho do protagonista interpretado por Jesse Eisenberg. A problemática deste filme envolve a questão da nossa própria identidade e de como a nossa unicidade é (supostamente) intransmissível. Recomendo não só a quem admira Dostoevsky, tal como segue o percurso de Richard Ayoade como realizador. Muito bom.

Orange Is the New Black


Depois do sucesso de "Weeds", Jenji Kohan criou outro marco na história das series de televisão. "Orange Is the New Black" surpreendeu tudo e todos com a sua estreia em 2013. A experiência de Piper Chapman (Taylor Schilling) numa prisão durante 15 meses é o ponto de partida para um drama que envolve decisões, erros e descobertas destas personagens. Mal posso esperar pela próxima temporada. Bom.

The Mindy Project

Esta serie foi-me apresentada por alguém desconhecido e como fiquei curiosa após ver uma entrevista a Mindy Kaling, decidi ver. Não estava à espera (mesmo) de devorar uma só temporada em menos de uma semana. Não sei o que diferencia especificamente "The Mindy Project" de muitas outras series sobre uma mulher (e os seus amigos) que tenta(m) equilibrar a sua vida pessoal e profissional na cidade de Nova Iorque MAS o tom cómico e o tributo de Kaling ao género "comédia-romântica" é inteligente e sobretudo eficaz. Adoro esta versão de Nova Iorque e estes personagens. Apenas posso recomendar a serie com o subtítulo: "For everyone whose life is a work in progress."

A comedy that doesn't let principles stand in the way of progress.


Este filme prova que Richard Ayoade é um dos novos realizadores desta década a causar impacto no mundo do cinema. A sua primeira longa-metragem intitula-se "Submarine" estreou em 2010 e a história é adaptada da obra literária de Joe Dunthorne. Fiquei absolutamente pasmada com todas as referências estéticas, linguagem da narrativa, planos de corte... nem sei por onde acabar e de como recomendar este filme. Para mim, Ayoade é um realizador a ter em atenção e faz-me considerar que este senhor seja o "novo Michel Gondry" dos últimos tempos. Um must-see.

Ally McBeal


Há muito tempo que vi esta serie aleatoriamente. Antes da box, pacotes e DVD, "Ally McBeal" passava quase-sempre na televisão. Uma serie que levou Calista Flockhart ao estrelato, imortalizou muitos dos actores clássicos do fim dos anos 90 e influenciou a cultura popular no universo televisivo americano. Também ganhou destaque pelos temas da banda sonora. Não é das minhas series preferidas mas experimentem ver um episódio da primeira temporada.

Ghostbusters


Para mim, o clássico de Ivan Reitman será sempre "Ghostbusters". Como é óbvio, adoro o primeiro filme, o segundo capítulo já tem um tom diferente na trama do filme e das personagens envolvidas. As várias referências de Ghostbusters no mundo do sci-fi marcaram uma geração pela sua comicidade, acção e claro, o tema musical de Ray Parker, Jr.. Mais que óbvio que recomendo. Com Dan Aykroyd, Bill Murray, Sigourney Weaver, Harold Ramis, Rick Moranis, Ernie Hudson e William Atherton. Intemporal.

The Watch


Uma comédia Sci-Fi realizada por Akiva Schaffer. Quatro homens decidem formar uma patrulha de vigia para proteger a sua cidade dos inimigos alienígenas. Um filme de serão de domingo à tarde, tipicamente blockbuster. Com Ben Stiller, Vince Vaughn, Jonah Hill e Richard Ayoade. Confesso que apenas vi o filme devido à participação de Ayoade.

Much Ado About Nothing


Existem inúmeras adaptações de várias obras de William Shakespeare para o grande ecran. Uma das de maior sucesso no cinema é este filme de Kenneth Branagh com Emma Thompson, Denzel Washington, Keanu Reeves, Imelda Staunton, entre tantos outros talentos. De 1993 para o presente. Quem estudou Shakespeare não dispensa de boas adaptações (quer seja para o teatro, música ou a sétima arte).

One Chance


A história de um dos concorrentes do programa de televisão Britain's Got Talent. A vida (ou ópera) de Paul Potts não foi nada fácil, neste filme, baseado em factos verídicos, acompanhamos a jornada de um homem com um talento inevitável. Uma voz que ultrapassa qualquer barreira e que venceu na vida. O importante é não desistir. Nunca. Realizado por David Frankel, argumento de Justin Zackham com James Corden, Alexandra Roach, Julie Walters, Colm Meaney e Mackenzie Crook. Gostei por ser um exemplo de convicção, força e acima de tudo, o quão importante é preservar os nossos sonhos e ambições. Tudo é possível.

Groundhog Day


Não sabia o que esperar deste projecto de Harold Ramis. Apenas reconhecia o filme pelo seu cartaz. "Groundhog Day" conta com Bill Murray e Andie MacDowell nos papéis principais. É um filme único, fantástico na sua premissa e maravilhoso (principalmente para quem é fã do trabalho de Bill Murray). Adorei. Icónico.

Good Hair

O que me fez interessar por este documentário peculiar foi o nome de Chris Rock estar envolvido como o jornalista em acção. Neste filme da HBO fala-se em concreto sobre o submundo do estiilo Afro-Americano de cabeleireiro. É incrível a quantidade de cosméticos, marcas e publicidade que existem à nossa volta sem darmos conta de como estas campanhas de marketing nos afectam. Recomendo a quem tenha curiosidade. Aqui fica o trailer:

The Other Woman

O argumento foi de Melissa Stack e a relização de Nick Cassavetes. Carly ao descobrir que o seu suposto namorado na verdade é casado, não esperava que a mulher a perseguisse com perguntas. Este é apenas o início de um filme de comédia inédito. Três mulheres numa situação pouco provável. Gostei pela premissa do filme, no entanto, considero um blockbuster típico de cinema americano. Com Cameron Diaz, Leslie Mann e Kate Upton. Girl Power.

Cuban Fury


A ideia foi de Nick Frost, o argumento de Jon Brown e a realização de James Griffiths. "Cuban Fury" é uma comédia cheia de salsa e com elenco a condizer: Nick Frost, Ian McShane, Rashida Jones, Olivia Colman e Chris O'Dowd. Para ver antes de ir sair.

Four Weddings and a Funeral


Existe definitivamente uma golden age para o género cinematográfico: comédia-romântica. Este filme realizado por Mike Newell e brilhantemente escrito por Richard Curtis foi um fenómeno no início dos anos 90 não só no Reino Unido como cativou audiências mundialmente. Pela comédia brilhante e pelos momentos dramáticos, garantiu duas nomeações para os Óscares. Os personagens e os actores serão eternamente memoráveis: Hugh Grant, John Hannah, Andie MacDowell, Charlotte Coleman, Simon Callow, James Fleet entre outros grandiosos talentos no elenco. Recomendadíssimo. Um clássico de uma geração.

The life of a dreamer, the days of a business, and the nights in between.


O mundo da industria pornográfica no fim dos anos 70 - esta pode muito bem ser a sugestão necessária para ver "Boogie Nights" de Paul Thomas Anderson. O realizador e argumentista reúne um grupo de personagens único num ambiente fervilhante californiano. Com Mark Wahlberg, Julianne Moore, John C. Reilly, Don Cheadle, Heather Graham, William H. Macy, Philip Seymour Hoffman e Burt Reynolds. Um filme estético de tributo à época.

Bullets Over Broadway


Um dos filmes mais bem sucedidos no ano de 1994 fora este de Woody Allen. Escrito em conjunto com Douglas McGrath, "Bullets over Broadway" mostra uma Nova Iorque de 1920 onde o teatro e o mundo dos gangsters mistura-se numa comédia típica ao estilo do realizador; com um grande elenco: John Cusack, Dianne Wiest, Jennifer Tilly, Mary-Louise Parker, Joe Viterelli entre outros. Recomendo. Atualmente existe um musical adaptado a partir do guião do filme: "Bullets Over Broadway the Musical".

Panic Room


A primeira vez que vi este filme tinha dezasseis anos (foi-me recomendado pelo meu pai, claro). Esta foi a minha introdução ao cinema de David Fincher. Escrito por David Koepp, "Panic Room" foi um thriller que me marcou pelo trabalho de Jodie Foster e por todo o ambiente claustrofóbico envolvente. Recomendo.

Bill Cunningham New York


Das ruas de Nova Iorque para as páginas do TIMES e do mundo: Bill Cunningham é um fotógrafo americano com reconhecimento internacional pelas suas fotografias. Ele é responsável por dar uma nova perspectiva no mundo na moda e mostrar as tendências nas ruas de Nova Iorque. Deveras fascinante. O universo que envolve a grande cidade de Nova Iorque é-me curioso e cheio de História. Para amantes desta grande metrópole e do seu estilo de vida.

How to Train Your Dragon 2


O segundo capítulo baseado na serie literária de Cressida Cowell regressou para dar continuação à saga "How to Train your Dragon". Passaram cinco anos desde a nossa ultima visita a Berk, Hiccup tem-se ocupado a registar as suas novas descobertas, a expandir o mundo onde vive. Com o seu dragão Toothless este descobre uma ameaça iminente e um pouco mais da sua história. Um filme (mais uma vez) realizado e escrito por Dean DeBlois (o qual já prometeu um terceiro capítulo para 2017). Devo dizer que esta segunda parte não desilude e acrescenta mais curiosidade ao mundo dos dragões e dos vikings. Volto a referir que o compositor John Powell é um génio iminente. Quanto mais, melhor. Dos melhores filmes que vi o ano passado.

Creative Nonfiction e Tiny Furniture

Vi os dois filmes de uma assentada para ver os primeiros passos de Lena Dunham como realizadora e argumentista. Não podia ser melhor. Todo o trabalho de Lena Dunham reflecte a sua visão sobre o mundo que a rodeia (o qual consequentemente nos sentimos identificados inconscientemente). Recomendo. Dunham é alguém a ter atenção para além do seu enorme êxito no canal HBO. O seu depoimento faz toda a diferença.


Before the Devil Knows You're Dead


Este filme realizado por Sidney Lumet e escrito por Kelly Masterson deu o protagonismo merecido a Philip Seymour Hoffman e Ethan Hawke. Estas duas personagens são irmãos envolvidos num evento pouco provável para uma família como esta. Um argumento brilhante com grandes actores em todo o elenco. Complexo, emotivo e com cinematografia de Sidney Lumet.

Born Into Brothels: Calcutta's Red Light Kids

Zana Briski e Ross Kauffman venceram o Óscar de Melhor documentário há dez anos atrás com este trabalho revelador sobre um grupo de crianças que nasceram e vivem no distrito red light da cidade de Calcutta na Índia. Uma crónica cinematográfica sobre o futuro eminente, os problemas da sociedade actual e o poder da educação. Recomendo. Para ver e recomendar.

Xenia

Este filme teve duas nomeações no festival de Cannes 2014 e é realizado por Panos H. Koutras. "Xenia" mostra uma realidade actual sobre a Grécia onde dois irmãos procuram o seu pai biológico. Protagonizado por Kostas Nikouli e Nikos Gelia. Actual e irónico.

Bowling for Columbine


Michael Moore ganhou o Óscar de Melhor documentário com este filme bru-tal sobre o panorama americano no uso das armas de fogo (tais como revolvers, pistolas etc). Um dos meus documentários favoritos por ser controverso, sarcástico e acima de tudo real. Moore mostra a realidade distorcida da violência (não só na América do Norte como em todo o mundo). Recomendo.

Magic in the Moonlight


Este é um filme ligeiro/comédia romântica de Woody Allen com Colin Firth e Emma Stone nos dois papéis principais. Um filme focado em bons diálogos entre as personagens e um desvendar de mistérios entre o mundo da ilusão e o lado racional da vida. Gostei como sempre. É sempre bom ver um filme de Woody Allen (mesmo que não seja épico).

They did everything but delete it.


Realizado por Jake Kasdan e protagonizado por Cameron Diaz e Jason Segel - Sex Tape - foi uma das comédias de Verão do ano passado. É simplesmente um blockbuster americano para sexta ou sábado à noite com amigos (para ser visto anteriormente a uma noite longa). 
Garante algumas gargalhadas mas não surpreende.

sobre stand up comedy

fazer rir é uma arte que poucos dominam. creio que existe um conhecimento sobrenatural sobre o riso mas existem alguns senhores e senhoras que na arte de contar piadas/anedotas marcam pontos. nestes últimos anos, estes tornaram-se os meus favoritos (sem ordem específica): 


tenho a noção que ainda são vários legados mencionados acima. Cada um deles fazem uma excelente companhia de serão. Vejam, aproveitem e se tiverem oportunidade de ir ver um stand up ao vivo não hesitem. Recomendado.

The Wind Rises

Ainda em 2013 e no ano passado, mal esperava para a estreia do novo filme de Hayao Miyazaki. Este pode não ser recheado de fantasia mas no entanto, mostra a vida de Jiro Horikoshi, o homem que desenhou os aviões japoneses usados na segunda guerra mundial. Gostei por ser diferente dos seus outros filmes e gosto que cada filme de Miyazaki tenha um universo próprio. É sempre bom ver e rever filmes com a assinatura deste realizador.

Grido


Um filme italiano realizado por Pippo Delbono. Para quem gosta da sua dramaturgia e do seu trabalho: recomendo.

hábitos alimentares, dois documentários


... ao longo dos anos fui modificando a maneira de como adquiro bens essenciais = comida. Dois documentários que analisam alguns dos maiores dos problemas mundiais no que toca à alimentação são: "Super Size Me" de Morgan Spurlock e "Forks Over Knives" de Lee Fulkerson. Dois documentários que ajudam a constatar alguns dos factos óbvios sobre nutrição e alimentação. Recomendo. Vejam.

Das Leben der Anderen


Realizado por Florian Henckel von Donnersmarck, este filme arrecadou o Óscar de Melhor filme estrangeiro na cerimónia de 2007 e não é para menos. "The Lives of Others" passa-se no inicio dos anos 80 e relata o dia-a-dia de um espião que observa um casal particular no quotidiano de Berlim (cidade que na altura estava dividida pelo muro). Mais não digo. Muito MUITO bom. Recomendo. Com Ulrich Mühe, Sebastian Koch, Martina Gedeck e Ulrich Tukur.

La grande bellezza


Vencedor do Óscar de Melhor filme estrangeiro na cerimónia dos Óscares do ano passado. Este filme de Paolo Sorrentino é uma obra de arte do cinema italiano. Gostei muito da estética, da história e da magia de Roma seguindo o nosso personagem principal, Jep Gambardella (Toni Servillo). 
Vejam, apreciem e disfrutem.

Carnage


A peça de teatro foi escrita por Yasmina Reza. O realizador deste filme é Roman Polanski. Com Jodie Foster, Kate Winslet, John C. Reilly e Christoph Waltz. Dois casais que se reúnem para discutir o mal entendido entre os filhos. Simples e brilhante por parte dos actores e da realização. Para quem gosta de teatro, Polanski e não só.

Behind the Candelabra

Um filme de Steven Soderbergh baseado na obra autobiográfica sobre a relação entre Liberace e Scott Thorson. Um filme polémico no que toca à estreia cinematográfica do conteúdo em questão. Não achei escandaloso em nenhum ponto da trama mas fiquei impressionada com a prestação de dois grandes actores: Matt Damon e Michael Douglas. Ultimamente a HBO tem levado produções de carácter cinematográfico para televisão com uma qualidade suprema. Vencedor de dois globos de ouro.

Maleficent


Um dos filmes mais esperados do ano passado envolvia uma nova versão do contos de fadas de "Bela Adormecida". O filme de Robert Stromberg com argumento de Linda Woolverton e o protagonismo de Angelina Jolie fizeram de "Maleficent" um filme sobre o "vilão" desta nova história. Com muita fantasia e novos plots, o simples conto de fadas da disney tornou-se mais completo e revigorante no sentido de conhecer melhor as personagens. Não me surpreendeu mas espero que a Disney continue a criar novas histórias como esta.

Django Unchained


Vencedor de dois Óscares da Academia: Melhor Argumento Original e Melhor Actor secundário. Este novo Tarantino surpreendeu pela positiva. Gostei imenso do filme, não achei seca nenhuma e recomendo-o a todo o custo. Para fãs de Quentin Tarantino e não só. Destaco todo o elenco: Jamie Foxx, Christoph Waltz, Kerry Washington, Leonardo DiCaprio e Samuel L. Jackson. 4 estrelas.

Le Bal


A ideia foi de Jean-Claude Penchenat e o realizador deste foi Ettore Scola. Um filme simples com humor próprio: a história de um salão de baile desde 1920 adiante. Adorei e recomendo a todos os curiosos. Nomeado para o Óscar de Melhor filme estrangeiro na cerimónia de 1984.

Cold body. Warm heart.

Jonathan Levine é um realizador em ascensão (consultem o seu reportório como realizador). Este, levou ao grande ecran a adaptação da obra literária de Isaac Marion. "Warm Bodies" não é só um filme de zombies. Também pode ser considerado uma típica rom-com com um toque de comédia. Para os fãs do mundo pós-apocalíptico. Com Nicholas Hoult, Teresa Palmer e John Malkovich. Banda sonora hype.

 

The Normal Heart


Tudo começa em 1981. O ponto final do silêncio do HIV/AIDS. Até esta altura existiam mortes sem causa aparente. Não só na comunidade gay mas também em muitos outros pontos do mundo. Neste filme de Ryan Murphy, escrito por Larry Kramer: um grupo de homens tentam avisar o mundo que existe uma nova doença. Aceitar que este novo vírus não deve ser motivo de vergonha ou de destruição. O medo não pode provocar ignorância na humanidade. É importante lutar pelas causas que são importantes. Com Mark Ruffalo, Matt Bomer, Jonathan Groff, Julia Roberts, Jim Parsons, Alfred Molina e Frank De Julio. 
Filme dramático, real. Vejam.

The Earth's Darkest Day Will Be Man's Finest Hour


O verão de 1998 ficou marcado pela estreia de "Armageddon", um filme de ficção científica que pôs o nome de realizador Michael Bay no estrelato. Com Bruce Willis, Billy Bob Thornton, Liv Tyler, Ben Affleck, Steve Buscemi, Will Patton, William Fichtner, Michael Clarke Duncan, Owen Wilson e Peter Stormare. Recomendo a uma geração dos anos 90 que ainda se lembra da banda sonora.

Work all day. Work it all night.

Steven Soderbergh criou alguma polémica ao realizar "Magic Mike": para já a premissa do filme parecia não encaixar com a estética de Sodenbergh mas devo referir que nesse ponto, a narrativa da história foi entregue. No entanto, todo o filme em si não tem conflito suficiente para manter o interesse. Destaco os actores Matthew McConaughey e Channing Tatum pelas razões óbvias. Não é um dos favoritos de Soderbergh mas aqui deixo o trailer.

Jaws


Um dos filmes favoritos da minha familia inclui este clássico de Steven Spielberg. "Jaws" marcou uma geração em 1975 e rapidamente se tornou um ícone: não só pela banda sonora, como pelo cartaz do filme. Foi vencedor de três Óscares e tem um elenco de grandes actores: Roy Scheider, Robert Shaw, Lorraine Gary e Richard Dreyfuss. Do livro de Peter Benchley ao grande ecran. Mais que recomendado.

All That Jazz


Um filme de 1979, vencedor de quatro Óscares da Academia. Realizado por Bob Fosse: o seu legado também inclui "Chicago" e "Cabaret". "All that Jazz" conta a história de Joe Gideon, um coreógrafo como tantos outros no mundo exaustivo da Broadway: o excesso, a adrenalina, o mártir. Com Roy Scheider, Jessica Lange e Ann Reinking. Musical clássico dos anos 70. Não adorei nem desgostei mas nota-se claramente uma marca temporal deste género no cinema americano.