Saving Mr. Banks

As raízes do universo Disney estão nos clássicos e na magia dos vários contadores de histórias que trabalharam nos estúdios Walt Disney. Este é um filme para todos os interessados em saber o processo criativo de um filme à boa maneira antiga. A história da adaptação de "Mary Poppins" para o grande ecran tem muito que se lhe diga: acompanhando P.L. Travers e o próprio Walt Disney, este filme dá-nos a descobrir de onde vem a inspiração de uma história inesquecível e de um filme igualmente intemporal. Adorei pelo carácter histórico, por mostrar que quem conta histórias tem um passado e consequentemente uma fonte de inspiração. Sempre. Com Emma Thompson, Tom Hanks, Paul Giamatti, Colin Farrell e Jason Schwartzman. Realizado por John Lee Hancock. Banda sonora de Thomas Newman. Obrigado Disney. Obrigado Travers.

The Lego Movie

Um dos filmes que mais antecipei este ano foi "The Lego Movie". Porquê? Toda a minha infância fora rodeada de peças Lego por toda a parte, por isso achei natural ver o filme obrigatoriamente independente das circunstâncias. Confesso que a minha expectativa não era muito alta em relação ao filme. No entanto, devo admitir que Phil Lord e Christopher Miller fizeram um óptimo trabalho e toda a equipa levou o primeiro filme no grande ecran da Lego ser um sucesso. Foi tão bom que já se fala numa sequela para 2017. Isto é entretenimento para todas as idades.

The Wolf of Wall Street


Podem dizer o que quiserem mas verdade seja dita que Martin Scorsese consegue manter qualidade no seu trabalho e diversidade no material que decide adaptar para o grande ecran. Baseado em factos reais, o homem americano mais excêntrico de todos os tempos fora de facto, Jordan Belfort. Apesar do crime e da corrupção, Belfort sabe o que foi viver ao máximo, sem limites nem restrições. Nomeado para 5 Óscares da Academia e mais uma vez, uma fantástica, excelente interpretação de Leonardo DiCaprio. Este é um dos filmes do ano por excelência. No elenco também contamos com Jonah Hill, Margot Robbie, Matthew McConaughey, Kyle Chandler, Rob Reiner e Joanna Lumley. Vejam o que o dinheiro faz a um homem ambicioso por natureza.

Misery loves family.


Um drama familiar de qualidade. Este filme é realizado por John Wells, a peça de teatro e argumento é do mesmo autor: Tracy Letts. Uma família disfuncional com bagagem e segredos por contar é o mote e sinopse do enredo destas personagens. Este é um filme com grandes prestações de grandes actores: Meryl Streep, Julia Roberts, Chris Cooper, Ewan McGregor, Margo Martindale, Sam Shepard, Dermot Mulroney, Julianne Nicholson, Juliette Lewis, Abigail Breslin, Misty Upham e Benedict Cumberbatch. Destaca-se também banda sonora de Gustavo Santaolalla. Achei brilhante. Vejam.

The Grand Budapest Hotel

Um dos filmes que esperei com mais antecipação no início deste ano foi exactamente o novo projecto de Wes Anderson: "The Grand Budapest Hotel". Desde o poster ao elenco do filme, tudo parecia encantado no trailer, a longa-metragem ultrapassou a expectativa que tinha e mais uma vez, Anderson torna-se dos melhores contadores de histórias por imagens que alguma vez vi. Também com uma banda sonora maravilhosa de Alexandre Desplat. Muito bom e bem recomendado. Adoro e venero.


Breaking Bad

Nos nossos dias é raro encontrar séries de televisão que deixam um legado memorável. Criada por Vince Gilligan, "Breaking Bad" deixa saudades pela sua dramaturgia única, entretenimento próprio e o gosto por uma história bem contada. Com Bryan Cranston, Anna Gunn, Aaron Paul e todo um elenco de valor. Vencedor de dois globos de ouro. Não podia recomendar melhor.

About Time

Nem sei por onde começar... como já sabem (ou não), sou uma fã de Richard Curtis há já algum tempo. Depois de ter colaborado na escrita de "War Horse", Curtis dedicou-se mais uma vez à criação de uma comédia romântica. "About Time" foi realizado e escrito por Mr. Curtis e não podia estar melhor. Com Domhnall Gleeson, Rachel McAdams e Bill Nighy, todo o filme é uma ovação constante ao viver intensamente, ao apelo de viver cada dia de maneira diferente e não deixar que os acidentes interrompam o nosso percurso. Achei magnífico. Muito bom. Narrado pela personagem principal, Tim, este apresenta-nos toda a sua família e todos os seus costumes. Aos 21 anos este descobre que todos os homens da sua família podem viajar atrás no tempo e com esta descoberta, Tim toma a decisão de querer encontrar uma namorada. Após mudar-se para Londres começa uma corrida contra o tempo que mais cedo ou mais tarde terá de acabar. Richard Curtis mostra mais uma vez o poder do amor sem grandes clichés ou exageros. Uma ode à vida. Banda sonora de Nick Laird-Clowes. Love is actually all around.

The Hunger Games: Mockingjay - Part 1

Este penúltimo capítulo da saga deixa o espectador impaciente pelo próximo filme. Não esperem ver uma cena prolongada de acção ou uma grande batalha, este filme é o set-up do último capítulo (que irá estrear em Novembro de 2015?). Após Katniss ter sobrevivido os últimos jogos, decide tornar-se o novo símbolo da rebelião e dar a cara por uma revolução iminente. A expectativa é alta. Que venha o próximo.

35 rhums


Este filme de Claire Denis e Jean-Pol Fargeau conta a história de uma relação entre pai e filha e as complicações que surgem quando um novo homem aparece na vida de Joséphine. Para quem gosta de cinema francês ou da cinematografia de Claire Denis. No elenco: Alex Descas, Mati Diop, Nicole Dogué e Grégoire Colin.

Burlesque


Ainda na onda dos musicais comerciais, este filme escrito e realizado por Steve Antin faz relembrar um certo videoclip (também com Christina Aguilera), "Lady Marmelade". No entanto, "Burlesque" é uma versão alargada sobre esse mesmo mundo. Com Cher, Alan Cumming e Stanley Tucci. Não gostei especialmente mas o estilo cabaret pode agradar a alguns com a banda sonora incluída, claro.

Sherlock

Após a espera de quase dois anos eis que chegou a terceira temporada: mantém o mistério e interesse pelas personagens mesmo com o passar do tempo e com as decisões que tanto Sherlock como Watson tomaram rumo nas suas vidas. Gostei. Sempre bom. Para os fãs.


Nothin' but a good time



O musical de Chris D'Arienzo teve um tratamento hollywoodesco no ano de 2012. A longa-metragem fora realizada por Adam Shankman, já conhecido também pela direcção de "Hairspray", "Rock of Ages" acabou por ser algo bem diferente (digamos que "Hairspray fora um musical mais bem sucedido do ponto de vista comercial). Se gostarem da banda sonora deste filme aconselho (aliás foi esse o motivo pelo qual o visionei). Com Julianne Hough, Diego Boneta, Russell Brand, Alec Baldwin, Tom Cruise e Catherine Zeta-Jones. Rock a todo o custo.

Masters of Sex


Uma das melhores séries de televisão que estrearam o ano passado inclui "Masters of Sex". Baseado em factos reais sobre os pioneiros da ciência sobre a sexualidade humana: começando em 1956 e por aí diante, o mundo não será o mesmo depois das experiências do Dr. William Masters (Michael Sheen) e das descobertas da sua assistente, Virginia Johnson (Lizzy Caplan). Uma serie histórica (se a quiserem considerar como tal). Sem tabus. Recomendo.

Frozen

A história de Hans Christian Andersen "The Snow Queen" foi a inspiração necessária para a criação de "Frozen". Realizado por Chris Buck e Jennifer Lee, um filme bem ao estilo Disney. Apesar de não ter achado nada de especial no seu todo, destaco principalmente os diálogos entre as personagens e claro a banda sonora de Christophe Beck. Com Kristen Bell, Idina Menzel, Jonathan Groff e Josh Gad. Vencedor de dois Óscares da Academia: Melhor Filme de Animação e claro, Melhor Tema Original "Let it Go". 

Girls

Lena Dunham é a responsável por esta serie. Num tom cómico/dramático esta é a vida de um grupo de raparigas (bastantes diferentes) na cidade de Nova Iorque. Sem glamour, sem ilusões mas com muitas expectativas, uma serie próxima da realidade e do seu cinismo. 
Bem-vindo ao novo mundo feminino. 


Anywhere But Here

Baseado no livro de Mona Simpson, este filme é realizado por Wayne Wang e protagonizado por duas grandes actrizes: Susan Sarandon e Natalie Portman. Um filme que deu nas vistas graças à complexidade da relação entre mãe e filha e ao protagonismo de Portman no papel secundário. Bom.

They bring you the news so you don't have to get it yourself.

Dez anos depois o personagem Ron Burgundy regressou ao grande ecran no ano passado com o filme "Anchorman 2: The Legend Continues". Apenas vou comentar o primeiro filme "Anchorman: The Legend of Ron Burgundy" realizado por Adam McKay e protagonizado por Will Ferrell, Christina Applegate, Paul Rudd, Steve Carell, David Koechner e Fred Willard (obviamente que existem mais surpresas no elenco). A personagem do apresentador de televisão ficou imortalizada pelo actor Will Ferrell que tanto vincou a personagem no seu estereótipo. O gang the acompanha o personagem principal - The Channel 4 News Team - são personagens igualmente hilariantes. Em 2004 começou o boom de uma nova geração de comédia Made in USA. Este é um dos primeiros exemplares: uma comédia americana blockbuster produzida por Judd Apatow.

The Hunger Games: Catching Fire


Tal como o prometido continuei a seguir a saga de "The Hunger Games". Neste segundo capítulo realizado por Francis Lawrence a nossa protagonista vê-se deparada com a mudança da sua própria identidade V.S. o poder da autoridade sob. o seu povo. Achei que este filme elevou a fasquia e mal posso esperar para ver a conclusão da saga (já sei o que vai acontecer devido aos livros já publicados mas não vou ser spoiler). O poder de uma revolução prestes a eclodir tem um preço e uma missão para a nossa protagonista que sem querer torna-se uma esperança para um povo derrotado. James Newton Howard continua com a sua brilhante carreira e para além do primeiro filme junta mais temas fabulosos neste filme. Que venha o próximo.

All About Eve


Este é um dos clássicos de Joseph L. Mankiewicz. Estreou em 1950 e rapidamente tornou-se num filme controverso devido à pré-produção do mesmo e o efeito que isso teve no resultado final. "All About Eve" conta com três grandes estrelas: Bette Davis, Anne Baxter e Celeste Holm. O texto e performance dos actores passa o ecran. Já há algum tempo que não gostava/apreciava um excelente filme dos anos 50. Também com George Sanders, Gary Merrill e Hugh Marlowe. Vencedor de seis Óscares da Academia incluindo Melhor Filme do Ano. Recomendo sobretudo pela genialidade do argumento.

Alien


Geralmente não gosto de ver filmes de horror ou suspense... a quadrilogia de "Alien" foi uma excepção. Tudo começou em 1979, a estreia de "Alien" mudou não só o estigma da ficção científica como capturou o público pelo seu suspense. Toda a acção do filme parece real, tenso e muito próximo da nossa realidade humana (por vezes parece que este poderia ser um plot de uma história real). Esta história intensa foi escrita por Dan O'Bannon e Ronald Shusett e a realização de Ridley Scott. Não há nada como um bom filme cheio de tensão made in the 70's/80's (ambas as décadas mostraram o seu valor no campo da ficção científica). Toda a atmosfera do filme deve-se não só à realização (Scott) ou à direcção de fotografia (marca de Derek Vanlint) como aos actores, personalidades como Tom Skerritt e Sigourney Weaver ficaram associadas ao mundo de Alien. Os temas sonoros de Jerry Goldsmith também ainda são reconhecidos pelos fãs e este é um dos seus trabalhos de culto. Após este horror clássico que se tornou num ícone na história do cinema americano, a sequela era previsível. Sete anos depois, estreia "Aliens" desta vez a visão é do realizador James Cameron, o qual não ficou atrás do primeiro filme mas desta vez a história complica-se: a sobrevivente Ellen Ripley tenta contar os acontecimentos catastróficos no planeta LV-426 mas ninguém acredita nela. Após terem perdido contacto com a colónia, Ripley é enviada numa nova missão. Tanto o primeiro como o segundo filme (apesar de momentos diferentes na história) prevaleceram. A terceira e quarta parte, (apesar de manterem grandes nomes na realização), os dois últimos filmes não foram tão bem sucedidos. "Alien³" de 1992 foi realizado por David Fincher e "Alien: Resurrection" de 1997 é de Jean-Pierre Jeunet. O que todos estes filmes têm em comum é a imagem de Sigourney Weaver e dos alienígenas criados de propósito para a trama. Após ter visionado a quadrilogia recomendo essencialmente o primeiro filme (creio que vão perceber porquê). 

À Deriva

Um filme do realizador Heitor Dhalia (que já deu muitas cartas no cinema brasileiro).
Este é um dos seus trabalhos. Recomenda-se

No Strings Attached


Desde 2006 que Ivan Reitman não assinava a realização de um filme. Esta comédia romântica com um humor honesto protagonizada por Natalie Portman e Ashton Kutcher destaca a seguinte pergunta: o que complica uma relação? a atracção? o sexo? a empatia? ou o amor?

Wanderlust


Jennifer Aniston e Paul Rudd são George e Linda, um casal que após ter-se mudado para Nova Iorque veem-se no desemprego e voltam à estaca zero: após uma viagem atribulada acabam por conhecer uma comunidade única com um novo estilo de vida. Este filme de David Wain foi classificado como filme de comédia... aconselho para visionamento num domingo à tarde.

The Monuments Men

Um grupo de homens foi responsável pelo resgate de obras de arte inéditas no fim da segunda guerra mundial. Este filme realizado por George Clooney conta uma história que não deve ser esquecida. Com um elenco de luxo: Matt Damon, George Clooney, Bill Murray, Cate Blanchett, John Goodman, Jean Dujardin, Hugh Bonneville, Bob Balaban e Dimitri Leonidas. Recomendo por ser um filme histórico com algum humor próprio. 

Philomena

Estava completamente a antecipar este filme: não era só o trailer em si; os nomes de Stephen Frears, Steve Coogan e da grande senhora Judi Dench ainda aumentavam mais a fasquia. Por acaso os Óscares apenas serviram de campanha publicitária para um filme com uma história baseada em factos reais: uma mãe que procura o seu filho, que não consegue esquecer o passado e um jornalista que irá publicar a sua história. Brilhante, fidedigno e simples. Banda sonora do maravilho Alexandre Desplat. Recomendadíssimo. Espero que gostem.

12 Years a Slave

Um dos filmes marcantes na cerimónia dos Óscares deste ano fora "12 Years a Slave". Realizado por Steve McQueen, Escrito por John Ridley baseado na obra literária de Solomon Northup, banda sonora de Hans Zimmer. Uma história real e tocante de um homem que deu tudo para sobreviver à escravatura. Poderoso, tocante e marcante. Com Chiwetel Ejiofor, Lupita Nyong'o, Michael K. Williams, Brad Pitt e Michael Fassbender. Recomendo não só pela história mas pela mensagem, pela voz de Solomon.

The end justifies the mean


Se quiserem ver uma comédia tipicamente americana e simples recomendo "Bad Words". Escrito por Andrew Dodge e realizado por Jason Bateman. Não achei nada de especial mas se forem fãs de Jason Bateman vejam (depois formulem uma opinião). 3 estrelas.

Brooklyn 99

Os criadores desta séries são: Daniel J. Goor e Michael Schur. Para quem não conhece, este senhores têm "Parks and Recreation", "Saturday Night Live" e "The Office" no currículo. Ainda apenas com uma temporada, esta série com Andy Samberg, Stephanie Beatriz, Terry Crews, Melissa Fumero, Joe Lo Truglio, Chelsea Peretti, Joel McKinnon Miller, Dirk Blocker e Andre Braugher; todos eles são detetives com personalidades diferentes e o dia-a-dia nesta esquadra é peculiar. Gostei mas não adorei. Veremos com a segunda temporada (talvez veja...).

Last Vegas


Este é um feel good movie de Jon Turteltaub com um elenco de luxo: Michael Douglas, Robert De Niro, Kevin Kline e Morgan Freeman. Não se deixem enganar pelo trailer e parecer que vos faz lembrar a saga "The Hangover". Acreditem que vale a pena ver este filme numa boa sessão de cinema em casa (porque existem amizades eternas e pessoas que valem a pena todos os dias até ao fim). Friendships are Forever. Dito e feito: recomendo.

Hysteria

Estamos em Londres no ano de 1880, um médico que acreditava na "nova" medicina da altura - Mortimer Granville - está no desemprego até que surge a oportunidade de ser assistente de um especialista em medicina feminina, mal este sabia que nos anos seguintes uma revolução/emancipação destas mulheres levaria a uma exploração constante do sintoma de histeria. Desta maneira foi descoberto o orgasmo e consequentemente inventado: o vibrador. Um filme de época baseado em acontecimentos reais. Com Hugh Dancy, Maggie Gyllenhaal, Jonathan Pryce e Felicity Jones. De Tanya Wexler com banda sonora de Gast Waltzing. Cómico.

We're the Millers


Existem várias desculpas para ver uma boa comédia actual ao bom estilo americano. Esta desculpa poderá incluir apenas a gula pelas típicas pipocas de cinema (o snack do costume). "We're the Millers" é uma comédia pop-corn blockbuster que inclui várias personagens numa situação inesperada. Um filme de Rawson Marshall Thurber com Jason Sudeikis, Jennifer Aniston, Emma Roberts, Will Poulter entre outras caras conhecidas no mundo do cinema de comédia americano. Para ver em familia (why not?).

À bout de souffle


Este filme mudou as regras do jogo. Não só a maneira de filmar como o olhar de um público jovem que saciava esta nova linguagem através das imagens e do som. Escrito por François Truffaut e realizado por Jean-Luc Godard, "À bout de souffle" conta uma simples história: um ladrão mata um polícia e tenta persuadir uma rapariga a fugir com ele para Itália. Este filme pôs na ribalta Jean-Paul Belmondo e Jean Seberg. Um dos meus filmes favoritos. Breathless.

He's Just Not That Into You


Uma comédia-romântica baseada no livro de Greg Behrendt e Liz Tuccillo. Este filme de Ken Kwapis conta com um elenco de estrelas: Ginnifer Goodwin, Scarlett Johansson, Jennifer Aniston, Bradley Cooper, Drew Barrymore entre outros. Num mundo onde aprendemos a decifrar mensagens escondidas em parábolas, metáforas e analogias, será que ainda existem estratégias nas relações do dia-a-dia?! 
Quando deixas as tuas amigas escolher o filme (numa sexta à noite) resulta nisto. 
Adoro os serões girly.

About a Boy


 Nick Hornby escreveu um livro maravilhoso e Chris Weitz, Paul Weitz realizaram este filme. "About a Boy" é uma história excecional onde um homem adulto e cínico aprende a ser uma nova pessoa graças a um rapaz de 12 anos. Com Hugh Grant, Nicholas Hoult, Toni Collette e Rachel Weisz. A banda sonora é de Damon Gough. Brilhante. Gostei e recomendo vivamente.

Kill Bill

O universo de Quentin Tarantino não me é estranho desde 2004. Após ter visto "Kill Bill: Vol. 1" fui directamente às salas de cinema ver a segunda parte da sequela - "Kill Bill: Vol. 2" - e este foi o ponto de partida na exploração dos filmes de Tarantino. Existem rumores de uma terceira parte (o que é algo que ainda não percebo...). Pessoalmente, o feito destes dois filmes deve-se a dois ingredientes brutais: o sexo feminino e vingança. Estes dois elementos combinam perfeitamente e resultam não só no grande ecran como nas páginas de um romance, o que faz com que a sequela "Kill Bill tenha o seu marco na história do cinema americano. Recomendo vivamente. No elenco temos Uma Thurman, Lucy Liu, David Carradine, Michael Madsen, Vivica A. Fox e Daryl Hannah. Sou fã.

A Streetcar Named Desire


1951, estes eram outros tempos do cinema americano. Elia Kazan realizou esta obra cinematográfica baseada na peça de teatro de Tennessee Williams e esta foi a primeira colaboração de dois gigantes. No elenco: Vivien Leigh, Kim Hunter, Marlon Brando e Karl Malden. Já tinha saudades de ver filmes a preto e branco e é sempre bom admirar os clássicos pela primeira vez especial neste género cinematográfico com mulheres traumatizadas e loucas, homens provocadores no verdadeiro sentido da palavra, relações frágeis entre os personagens, emoções complexas na sua sinceridade simples... 
Extraordinário.

A Single Man


Baseado na obra literária de Christopher Isherwood. "A Single Man" é um filme incrivelmente belo realizado por Tom Ford. Colin Firth torna a personagem e o enredo poderoso e mostra o quão extraordinário é o poder da sua performance (e este actor tem um óptimo reportório... nem sei quem duvidou de Colin Firth ser um grande actor ou não). Com Julianne Moore, Nicholas Hault e outras surpresas no elenco. Banda sonora de Abel Korzeniowski. Muito Bom.

The Days Are Numbered


Um filme de 2002 de Danny Boyle. Não sabia nada sobre este filme até aos primeiros minutos, no entanto, não se deixem enganar: possivelmente vão encontrar algumas diferenças entre este filme e muitos outros do mesmo género. Quatro meses depois uma infecção sem explicação, Jim (Cillian Murphy) acorda num hospital deserto e depressa se apercebe que está sozinho em Londres? Após juntar-se a um grupo de sobreviventes estes irão procurar um local seguro onde sobreviver. O argumento é de Alex Garland e já não é a primeira nem a ultima vez que este filme é comparado com a série "The Walking Dead". Banda sonora de John Murphy. Para os fãs de filmes do género.

À double tour


Claude Chabrol tem vários filmes para serem explorados. Este é apenas um mero exemplar. De 1959, este filme francês faz parte de uma época vindoura onde actores como Jean-Paul Belmondo faziam parte de um movimento único no panorama do cinema europeu. Vejam.

Despicable Me 2



Depois do êxito do primeiro filme, Gru regressa ao grande ecran mas desta vez são os serviços secretos que precisam da sua ajuda. A banda sonora assinada por Pharrell e todas as outras personagens adoráveis regressa numa boa segunda parte (e creio que a sequela está marcada para 2015). Divertido.

A Better Life


A história é de Roger L. Simon, o argumento é de Eric Eason e o realizador é Chris Weitz. Este filme ganhou notoriedade graças ao actor Demian Bichir. Um filme tocante sobre a relação de pai e filho. Vivem os dois em Los Angeles, California mas as suas vidas estão longe do típico sonho americano. Carlos Galindo é jardineiro e quer proporcionar uma vida melhor ao seu filho, Luis. 
A banda sonora é de Alexandre Desplat. Forte.

L'écume des jours



É baseado no livro de Boris Vian e o argumento deste filme de Michel Gondry é assinado pelo próprio e por Luc Bossi. Com Romain Duris, Audrey Tautou e Omar Sy entre outros actores. Para quem já está habituado às imagens e emoções de Gondry ficará deliciado. Caso seja a primeira vez que veja algo deste realizador espero que este filme seja uma porta aberta para explorar tjavascript:;oda a filosofia cinematográfica que o arquivo de Michel Gondry reserva e esperar ansiosamente por mais histórias por contar. Adoro (e assim o tenho dito).

21 Grams


Este é o segundo capítulo que pertence a uma série (os outros dois filmes são "Amores Perros" e "Babel"). Por esta razão "21 Grams" de Alejandro González Iñárritu cruza várias histórias de personagens reais numa encruzilhada. Uma imagem crua questiona se a culpa terá um peso em todos nós. Há sítios onde várias vidas se cruzam por acidente e este é o lado cruel dos infortúnios do acaso. Destaco Sean Penn, Naomi Watts e Benicio Del Toro. Forte, Emotivo e Dramático.

A Decade Under the Influence

Um documentário narrado por grandes senhores do cinema que presenciaram uma nova época do cinema americano. Nos 60 e 70 aconteceram movimentos políticos importantes que influenciaram profundamente a sociedade da altura. Neste mesmo período o cinema europeu dava cartas mostrando ao mundo a visão de vários realizadores como Truffaut, Godard, Bergman entre outros. O desafio estava lançado: criar uma nova linguagem cinematográfica para um novo público emergente. Esta foi a década da "nova Hollywood" onde o cinema independente deu os seus primeiros passos da indústria americana. Um documentário de Ted Demme e Richard LaGravenese.

A Very Long Engagement

 Uma mulher que não desiste reencontrar o amor da sua vida após a primeira guerra mundial. Este filme de Jean-Pierre Jeunet mostrou mais uma vez a sua estética e a actriz Audrey Tautou mostra a sua versatilidade fora de Amélie. Uma história de amor sem igual entre Manech e Mathilda. Baseado na obra literária de Sébastien Japrisot. Banda sonora memorável de Angelo Badalamenti. 
Um clássico.

This Is the End


Uma das comédias que marcou o ano passado foi realizada por Evan Goldberg e Seth Rogen. Jay Baruchel e Seth Rogen são amigos de longa data e decidem ir a uma festa na casa de James Franco. Mal estes sabiam que o fim do mundo/tremor de terra/Apocalipse iria acontecer... A cultura pop dos blockbusters reunidas num filme cómico e atractivo com muitas surpresas no elenco e um desfecho surreal à boa maneira de Hollywood. Se gostam de filmes recheados de super-estrelas e momentos cómicos vejam "This Is the End". Gostei por ser descontraído.

Freedom Writers


Um dos melhores filmes MTV estreou em 2007. "Freedom Writers" realizado por Richard LaGravenese conta os casos reais de vários adolescentes residentes em Long Beach, California. Estamos em 1994 e a criminalidade aliada ao racismo criam problemas por toda a comunidade. A professora Erin Gruwell (interpretada por Hilary Swank) é uma professora motivada mas cedo percebe que terá de improvisar outros métodos para educar os seus alunos conflituosos. Pode não ser o filme da década mas é bom e faz toda a diferença conhecer e saber mais sobre a história de um grupo de adolescentes que decidiram mudar as suas vidas. Os testemunhos, as vozes, as palavras. Recomendo.

Some see what's possible, others change what's possible.

Steve Jobs foi para além do criador da Apple. Este visionário acreditava na inovação do nosso dia-a-dia e com a ajuda de uma grande equipa criou produtos e conceitos que mudaram a nosso meio de comunicação para sempre. "Jobs" é um filme de Joshua Michael Stern que mostra as crenças de Jobs desde adolescente até à idade adulta. Um homem que lutou a vida toda e que acima de tudo tinha fé na palavra: evolução. Foi um desafio para Ashton Kutcher interpretar este papel. O filme em si não supera expectativas.

Spring Breakers

Um dos filmes do ano passado que causava burburinho era o novo trabalho de Harmony Korine. O fenómeno é compreensível a um nível infanto-juvenil dado conta que em termos cinematográficos não acrescenta nada de novo mas para um público habituado à fórmula dos blockbusters americanos, "Spring Breakers" marcou pontos acentuando todos os visuais apelativos com uma banda sonora a condizer. Quatro amigas que mudam as regras do jogo. Apenas sublinho que o actor James Franco tem-se tornado num camaleão entre personagens (e isso é óptimo). Este filme fez-me relembrar o efeito "Miley Cirrus", ou seja, não é nada de novo mas mesmo assim existe alguém que fica chocado. Não foi o meu caso. 


The World's End

 

Peter, Gary, Steve, Oliver e Andrew - 5 amigos, uma noite, 12 tabernas. Este é o inicio de uma aventura recheada de acção e momentos épicos mesmo ao estilo de Edgar Wright... e assim concluímos a trilogia. Com um elenco também brutal. Vejam e recomendem, explorem tudo o que há de Edgar Wright porque não é todos os dias que a acção e entretenimento fazem fusão. Não é apenas "bom" é, de facto, "muito bom".

The Bling Ring


Um grupo de adolescentes que assaltou várias casas dos famosos na Califórnia. Este é o plot e a realização do filme de Sofia Coppola. Com Katie Chang, Israel Broussard, Emma Watson, Claire Julien e Taissa Farmiga. O sonho americano versão adolescente vibra neste estilo de vida recheado de marcas de luxo e ócio. O que escapa a este universo alternativo é que as aparências iludem e cada um de nós pode tentar ser a sombra de alguém mas nunca sairá bem sucedido. Outra banda sonora de referência tal como nos seus outros filmes. Eu gosto dos filmes de Sofia Coppola. Não tenho mais nada a dizer.

Interior. Leather Bar.


Realizado por Travis Mathews e James Franco. Em 60 minutos os dois realizadores mostram como foi a experiência de reinventar uma cena censurada do filme "Cruising". Já esteve presente em vários festivais e vale a pena ver. Tal como explorar a cinematografia de Travis Mathews.

Blue Jasmine


Uma mulher à beira de um ataque de nervos, esta é Jasmine, personagem interpretada por Cate Blanchett. Já há muito que não via um drama realizado por Woody Allen e este tem os dois lados da moeda: viver com muito dinheiro e gastá-lo futilmente faz mal à alma/as aparências podem estragar os nossos valores morais. Vejam. Blanchett mostra mais uma vez a fantástica actriz que é.

Diana



Várias gerações (incluindo a minha) tomaram conhecimento da personalidade "A Princesa Diana" quer seja pelas notícias da televisão ou pelas capas das revistas. Nunca um membro da monarquia inglesa tinha tido tanta projecção. Este filme de Oliver Hirschbiegel relata os dois ultimos anos de Diana e não fora muito bem recebido pelo público no ano passado. Algo entre o argumento e a edição ficou-se por um filme que se foca na relação da princesa com Dr. Hasnat Khan. Mesmo assim entende-se perfeitamente que esta individualidade procurava um futuro melhor, uma família, uma estabilidade (dá para perceber a atenção que Diana tinha por parte de todos os media). Para acabar: acho que Naomi Watts fez um bom trabalho e respeitou a sua personagem. Baseado no livro de Kate Snell.

This turkey can't fly


Carlos Saldanha já foi mais que reconhecido pelos seus filmes de animação. "Rio" não é excepção. O enredo conta a história de Blu, um pássaro que nunca voou nem sabe usar as asas até que uma viagem inesperada ao Rio de Janeiro vai mudar tudo. Daqueles filmes em 3D que valiam a pena ser vistos em IMAX. Gostei da mistura entre os pássaros, as cores e os próprios brasileiros com o ritmo da cidade e o samba sempre a conduzir o espectador da favela, à floresta e à praia. Com banda sonora de John Powell entre outros.Vozes de Jesse Eisenberg, Leslie Mann, Wanda Sykes, Jane Lynch, Jamie Foxx, Rodrigo Santoro e Anne Hathaway. Se gostam das animações de Carlos Saldanha aproveitem. (No próximo mês estreia a nova aventura com os mesmos personagens - Rio 2 ).

A Knight's Tale

O filme mítico de Brian Helgeland que imortalizou Heath Ledger como eterno cavaleiro do cinema hollywoodesco foi um sucesso em 2001. Com uma banda sonora peculiar (e boa) este é daqueles filmes memoráveis para rever quando quiserem.

Everyone needs a refuge from the world.


No ano de 2009 o burburinho em redor deste filme de Dagur Kári era quase insuportável. Esteve presente em vários festivais e foi um dos filmes independentes em destaque nesse ano. Com Paul Dano e Brian Cox, "The Good Heart" conta a história de um dono de um bar (Cox) que decide a ensinar a um sem-abrigo (Dano) tudo o que sabe sobre o seu ofício. Entre o drama e a comédia estas são personagens reais onde um sem-abrigo suicida e um homem depressivo encontram um convívio espontâneo. Acho que vão gostar.

A Little Princess


Quando tinha cerca de 6 anos de idade este filme de Alfonso Cuarón passou na televisão e eu adorei instantaneamente mas para encontrar este filme sem qualquer memória do título foi bastante complicado (aliás até fiquei surpreendida quando descobri que o realizador era Alfonso Cuarón). A história começa na Índia e seguimos Sara Crewe, uma menina sonhadora que apenas tem o pai como família, este como vai para a guerra decide deixar Sara num colégio interno em Nova Iorque. Este é um dos clássico infanto-juvenis da Warner Brothers e recomendáveis na época natalícia. Encantador.

127 Hours


Existem acidentes todos os dias, no entanto, haverão sempre pessoas para contar estas histórias. O caso de Aron Ralston impressionou o mundo não só pelos factos verídicos como a personalidade deste homem que inspirou a sociedade. A experiência deste filme de Danny Boyle reflecte-se quando acabamos de ver o filme e sentimo-nos perto das decisões do personagem principal tal como compreendemos a sua situação ao ponto de nos colocarmos na mesma e de até aceitar as suas decisões para sobreviver. Acredito que esta não é uma história de coragem mas sim uma história sobre a força e a capacidade do ser humano. Adorei a prestação de James Franco que escolhe projectos interessantes (evoluindo como actor). A banda sonora é do fantástico A.R. Rahman que tem momentos muito bons na utilização sonora/musical em vários momentos do filme; e mais uma vez o realizador Danny Boyle adapta ao seu estilo de fazer cinema a uma história com moral, poder, sabedoria e experiência. É muito bom.

La Cage Dorée



Este é um filme bem disposto que celebra os pequenos costumes dos portugueses. De Ruben Alves com Rita Blanco, Joaquim de Almeida, Maria Vieira entre outros. Esteve nas salas de cinema em Agosto do ano passado e garantiu uma boa comédia à portuguesa (porque sendo imigrantes ou não é sempre bom ver que existe um humor tão nosso... somos característicos). Espero que gostem.

Ma femme est une actrice


Existem filmes que nos são recomendados por terceiros. Este em particular foi recomendado por alguém que claramente pertencia ao passado mas como às vezes precisamos de filmes, músicas ou fotografias para explicar o que sentimos: um dos meus ex-namorados recomendou-me este filme de Yvan Attal (a razão pela qual escrevo isto é: ele não entende a língua portuguesa). Por esta mesma razão vi este filme com outros olhos. Entre a comédia e o sarcasmo a relação entre Charlotte (Charlotte Gainsbourg) e Yvan já teve dias melhores e por vezes os ciúmes podem trazer alguns problemas... ninguém disse que namorar uma actriz era tarefa fácil (como se esta não fosse uma profissão igual a tantas outras).