textos sobre teatro (V)


Espectáculo em análise:

·       A 20 de Novembro
De Lars Norén
Tradução Francis Seleck (a partir da tradução francesa de Katrin Ahlgren)
Com João Pedro Mamede
Dirigido por Francis Seleck
Fotografias André Pais
Produção Cena Múltipla/ Associação Cultural O Mundo do Espectáculo
Apoio Câmara Municipal de Almada


Texto:
            Na minha opinião pessoal, acredito que este monólogo escrito por Lars Norén é das peças mais difíceis de ler, compreender e entender. Situado horas antes de uma chacina numa escola secundária, o nosso personagem encontra-se sobretudo nervoso, sozinho, apenas com a sua mochila recheada de armas de vários calibres. O plano é simples: vingar aqueles que gozaram consigo nos tempos de escola. Mas não é só isso: todo o extermínio é evidente e extremamente necessário dado conta que este personagem que nos é apresentado defende ideias anarquistas e possui um ódio próprio.
            As características técnicas deste espectáculo não exigem tamanho aparato. Tendo apenas uma iluminação básica e como adereço a mochila no chão, “A 20 de Novembro” desenvolve-se num ambiente de clausura provocado pelo actor onde o espectador é deparado com uma realidade alternativa, independente, a qual não crer acreditar que esta mesma exista. O discurso do actor não é só persuasivo como perverso e acima de tudo, cruel. Desde a postura à roupa é-nos apresentado um rapaz jovem, violento, traumatizado sem teto na língua com roupas desleixadas, cara deslavada e um ar cansado. 

            
  Ao longo de todo o espectáculo, este personagem revela-nos meticulosamente o seu plano, conta-nos as suas ambições, escreve a sua carta de morte e de partida para uma guerra que só ele entende. A relação entre o texto e o corpo é notória, os ligeiros movimentos bloqueados pelas próprias palavras, o nervoso miudinho que é rebatido com palavrões, ofensas e palavras de mau carácter, o olhar intenso que mostra o lado decisivo do comprometimento desta personagem na execução do crime.
            Finalmente, todo o empenho deste personagem irá concretizar-se. A relação entre o espectador e o dispositivo teatral é  de uma atenção/tensão mútua, isto é, ao longo do espectáculo mantém-se uma sintonia por entre o público derivado do ritmo das propostas verbais que o actor apresenta no contexto do espectáculo. O silêncio e a palavra tomam posse simultânea da audiência. Existem projectos/espectáculos simples e eficazes no tema, na estética e na mensagem. Este é um deles.execuçmas de vadas. vo teatral  irdo decisivo do comprometimento desta personagem na execuçmas de vadas. ´
Enviar um comentário