Amour


Michael Haneke já não é um nome despercebido no cinema. "Amour" é difícil de explicar o porquê de gostar ou não gostar deste filme. Achei emocionalmente intuitivo graças aos dois grandes actores: Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva. Achei que toda a história não era uma ficção (e acho que só pode ser considerado "ficção" quando sabemos que esta história não foi de todo baseada em factos reais). No entanto, toda a linguagem cinematográfica aponta para uma realidade facilmente atingível pelo espectador. Acima de tudo, um filme genuíno. Vencedor da Palma de Ouro no festival de Cannes.
Enviar um comentário