Bedtime Stories

É mais um comercial da Disney mas vi-o por Adam Sandler, este actor tem por vezes revelações conforme os filmes que interpreta e mesmo que sejam maus não implicamos com a imagem deste actor. Se os contos de fadas se tornassem realidade vivíamos, provavelmente, num mundo tão ou mais exagerado que o próprio parque de diversões da Disneyland... mas e se os contos de adormecer fossem aplicados ao nosso quotidiano? Uma comédia de domingo "para toda a família".

El Cid

Pertence ao ano de 1961 e foi realizado Anthony Mann. Um épico melodramático digno de sessões de cinemateca. "El Cid" tem como cabeça de cartaz o mítico Charles Heston e a beleza intemporal de Sophia Loren. Um filme de produção de calibre à antiga sobre um herói espanhol, Rodrigo Diaz. Banda Sonora de Mikós Rózsa.

True Crime


Em 1999 Clint Eastwood realizava o seu vigésimo primeiro filme, "True Crime". Numa luta contra o tempo, o jornalista Steve Everett tenta provar a inocência de Frank Louis, um prisioneiro de longa data que irá ser condenado à pena de morte por um crime que não cometeu. A investigação de um crime mistério leva a um bom argumento com diálogos em tons reais e intenso no registo humano. Isaiah Washington é um actor a ter em atenção.

Melancholia


Destaco em primeiro lugar o compositor Kristian Eidnes Andersen por todo o arranjo musical brilhante deste filme. Realizado e escrito por Lars Von Trier já nos habituámos à imagem de marca do realizador com os seus planos-quadro, como se a tela de cinema fosse uma pintura viva de alta definição e uma trama inquietante apelativa ao subconsciente do espectador. Para seguidores de Lars Von Trier e de Kirsten Dunst.

Film (1965)


Este é Samuel Beckett no cinema. Escrito em 1963, filmado em Nova Iorque durante o ano seguinte. Realizado por Alan Schneider e protagonizado por Buster Keaton. De génio.


This year, discover how far adventure will take you.


Colaboração atrás de colaboração, começando em Herné, passando por Peter Jackson e acabando em Steven Spielberg, finalmente as aventiras de Tintin chegam ao grande ecran com um 3D tão fantástico que até eu fiquei boquiaberta. Para quem odeia a maioria dos filmes em 3 dimensões (como os últimos trabalhos de Robert Zemeckis) direi-vos que Tintin está muito bem conseguido e valeu a pena ver em cinema. Aquele medo que se instalara desde o visionamento dos primeiros frames do filme deixava muito a desejar, quanto ao trailer já estava mais assente e finalmente o filme creio que satisfaz qualquer apaixonado pelas aventuras do jovem jornalista. Digo isto porque fui ver o filme com o meu pai. Para ver e rever com as gerações mais novas. Fiquem atentos a todos os artistas envolvidos neste filme. Desde a concepção, ao guião, produção, banda sonora, elenco e muitos outros parâmetros. Magnífico. O que há para não gostar de Tintin?

Spice Girls: Giving You Everything

Confesso que ando a recordar alguns dos fenómenos da minha infância (um tanto que pouco distorcida). 
Dado que o mundo POP invadiu desde muito cedo a minha escola primária teria de lidar com o facto mais cedo ou mais tarde. Por isso, posso afirmar que as Spice Girls influenciaram-me de uma maneira positiva dado que desde essa altura desprezei outros artistas comerciais como Britney Spears, boys band da altura entre outros. E agora mais tarde, após toda a loucura de um novo milénio decidi ver este documentário de apenas 60 minutos sobre a banda e apenas achei interessante o ponto de perceber o quanto a status de ser reconhecido mundialmente no final dos anos 90 era algo completamente revolucionário ainda por cima para cinco desconhecidas provenientes de Inglaterra. Não o recomendo de maneira especial mas se quiserem rebuscar a vossa infância inocente, aproveitem.