Black Cat, White Cat



O debut de Emir Kusturica, diz o geral senso comum, que fora este “Black Cat, White Cat” (Crna macka, beli macor). Um filme de dualidades não só entre cores mas como coincidências onde a trama reside numa dúvida resolvida por um casamento planeado. Mas nada disto é previsível. Uma estética da “máfia desconstrutivista” e de todo o circo de Kusturica. Acho fabuloso o quanto cada obra cinematográfica deste senhor seja uma grande farra clandestina ao sabor da vida. Adoro e recomendo. Se este fora o começo de uma cinematografia de culto, que venham muitas mais. Estes são os contos de Emir Kusturica.

Enviar um comentário