Sex and The City 2


Mais uma vez Michael Patrick King brinda um filme para as fãs de “Sex and the City”. O problema é que pelo menos para mim isto é uma ofensa. A sério, vejam a serie, não os filmes.

Remarkable. Unbelievable. Impossible. And true.


Não confundir com a versão dos anos 40, “The Adventures of Baron Munchausen” é um filme datado 1988 do grande cineasta Terry Gilliam com John Neville, Uma Thurman, Sarah Polley e Eric Idle. Para quem gosta de aventuras. Super estético e divertido. Who doesn’t love Gilliam?

Thumbsucker


Todas as pessoas acusam Justin de ter um segredo, uma barreira, algo que o impede de ser quem é. Na verdade, este adolescente de 17 anos chupa no dedo. Obviamente que mostra claramente o lado ridículo de lidar com a situação mas será que Justin está pronto para largar o seu dedo?
Um filme com LouPucci, Tilda Swinton, Keanu Reeves, Vincent O’nofrio, Benjamin Bratt e Vince Vaughn. Baseado no livro de Walter Kirn e realizado por Mike Mills. Um drama indie repleto de puberdade “clássica”.

PostSecret

O PostSecret Português é um projeto artístico coletivo, no qual pessoas enviam por correio anonimamente segredos que partilham por via de postais elaborados por elas.

este é um projecto especial que queria partilhar convosco. espero que gostem e participem.


http://postsecretpt.blogs.sapo.pt/ 


 

Nowhere Is Safe


Dizem que à terceira é de vez e por vezes é bem verdade. Há cinco anos que não gostava tanto de um filme da saga Harry Potter como hoje. Com a escolha de David Yates para realizar o quinto livro e posteriores não me deixou muito animada. Confesso que não sou particularmente fã do realizador. O meu descontentamento sobrepôs-se à história mal contada visualmente e que por mais que amássemos as personagens parecia que a pouco e pouco um projecto tão especial, baseado nas obras de J.K. Rowling, ia perdendo a magia no grande ecran. Mas felizmente esta primeira parte “Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 1” surpreendeu-me pela positiva (possivelmente pelo simples facto da história estar dividida em duas partes). Denota-se uma narrativa demorada, acção comprometida à sua função e garante que a fórmula Harry Potter volta ao seu elemento natural. Sem esquecer a afirmação clara de um crescimento, evolução, mudança no mundo da magia onde Harry, Ron e Hermione se encontram. O caos está instalado. Merece ser visto com bons olhos. Este é meio caminho para o fim de uma era e tenho um orgulho particular em fazer parte desta época. Espero que sintam o mesmo.




PS – e para quem não sabia: Há um português em hogwarts

2001: A Space Odyssey

Em 1968 estreava o filme mais Sci-fi as it should realizado e produzido por Stanley Kubrick. Um filme intenso com a Máquina e o Homem recheado de valsa e música clássica. Contudo, gosto de ver e rever Kubrick por outros feitos. Mítico do seu género.

The Little Traitor

Baseado no romance de Amos Oz, este filme de Lynn Roth conta com Ido Port e Alfred Molina para relatar o caso da Palestina em 1947 onde os Britânicos desde 1917 tinham ocupado terras inóspitas trazendo depois da 2ª Guerra Mundial, uma enchente de refugiados pós – holocausto. Derivado a esta e outras medidas o povo palestiniano encontrava-se revoltado e com um ódio permanente aos ingleses. Para evitar confusões existia uma hora de recolher obrigatório para as comunidades Árabes e Judaicas. Aqui em Jerusalém estava Proffy, um rapaz de família judaica, bastante influente no seu grupo de amigos e pouco ambicioso da vida que levava.


Após ter-se metido em sarilhos, Proffy corre o mais depressa que pode até casa, pois a hora de recolher obrigatório já passou, até que é apanhado por um sargento que surpreendentemente apenas o acompanha até casa. Proffy fica intrigado com o lado humano de uma figura que tanto odeia. Começa a conhecer e a trocar impressões com sargento Dunlop, uma amizade não aprovada pela comunidade judaica. Descobrir que o diferente é igual mesmo que os tempos sejam os mais difíceis e reconhecer em qual dos lados cada um se mantém.

Someone is missing.


O trailer despertou-me mera curiosidade, o filme era tudo que não estava à espera. Martin Scorsese ultrapassou as marcas do invejável em “Shutter Island”. Um filme de mistério e assustador onde a banda sonora ou até o próprio lettering do filme indicam o termo “épico” claramente. Começa em Boston Harbor Islands no ano de 1954 quando Teddy (Leonardo DiCaprio) e o seu colega Chuck (Mark Ruffalo) vão para uma penitenciária investigar o desaparecimento de uma das pacientes. Nada dos acontecimentos seguintes serão ocorrentes na mente do espectador. Também no elenco: Ben Kingsley, Michelle Williams e Max Von Sudow. Muito Bom. Recomendo.

The Imaginarium of Doctor Parnassus



Pode parecer estranho mas quase tudo relativo a fantasia estranha e completamente arbitrária fascina-me tanto quanto o coelho branco de Alice, atraí-me a atenção. E por coincidência, sendo Terry Gilliam o mestre do arbitrário estético nada me faz desgostar de “The Imaginarium of Doctor Parnassus”. Um filme que não exaltou expectativas mas por isso mesmo fora tão bem recebido. Gosto e recomendo aos fãs de Gilliam que coitado, já deve estar habituado a ter problemas na produção de filmes. Com Heath Ledger, Christopher Plummer, Johnny Depp, Lily Cole, Jude Law, Colin Farrell, Verne Troyer, Tom Waits. E já agora, a nomeada para o Óscar de Melhor Guarda-Roupa, Monique Prudhomme, deveria ter ganho.