a kind of interview (I)

A primeira de muitas. esta tinha sido proposta à algum tempo mas só agora decidi responder:

TEN ARE YOU’S
1. Are you single – Yes.
2. Are you happy – Sure.
3. Are you bored – If I wasn’t bored I wouldn’t be doing this.
4. Are you naked – No.
5. Are you a blonde – Not at all.
6. Are you moody – Nop.
7. Are you a lover/hater – Hater of apathy, lover of discovering.
8. Are you hot/cold – mostly warm.
9. Are you Irish – I don’t think so.
10. Are you Asian – Yes, half! I think…

TEN FACTS
1. Name – Joana
2. Middle – Andrés (it sucks)
3. Any birth marks – have many but they are discrete.
4. Hair color – Brunette.
5. Natural hair color – answer above. I died my hair but it was a long time ago.
6. Eye color – Browny eyes.
7. Height – damm I’m tall
8. Mood – curious
9. Favorite color – Amaranth
10. One Place You Want to Visit – New York (example).

The Sunshine Boys


Tal como no filme de 1975 de Herbert Ross em 1995 saiu uma versão renovada da obra teatral de Neil Simon, “The Sunshine Boys”, protagonizado por Woody Allen, Peter Falk e Sarah Jessica Parker. Um remake muito mas muito fraco.

Despicable Me



Em 2010 previa-se (dizem as fontes) um lançamento de seis grandes blockbusters de filmes de animação 3D onde até agora foram os que arrecadaram de grosso modo mais € nas bilheteiras. “Despicable Me” não é excepção à regra mas no entanto é sim uma óptima novidade por parte dos estúdios da Universal Pictures (visto que anteriormente os seus sucessos no campo da animação digital foram nulos…). Realizado por Pierre Coffin e Chris Renaud, ainda dois talentos “verdes” na grande indústria da animação, trazem uma história original de Sergio Pablos sobre um vilão, Gru, que planeia executar o maior roubo inédito da História. Com as vozes e talento de Steve Carell, Russell Brand, Jason Segel e Julie Andrews. Um filme que aproveita todos os benefícios da animação e da emoção/comédia intuitiva tal como do aproveitamento da estereoscopia (ou seja, do 3D). Recomendo que venham às salas de cinema e que ponham os óculos. Gostei mesmo.

Y tu mamá también


Nomeado para Melhor Argumento Original, “Y Tu Mamá También” narra o Verão de Tenoch (Diego Luna) e Julio (Gael García Bernal), dois amigos inseparáveis que apesar de partilharem os mesmos gostos, comportam-se de uma maneira diferente. Ao conhecer a bela Luísa (Maribel Verdú), os dois amigos vêm-se tentados a convidá-la para ir à praia. Quando Luísa aceita ninguém irá prever o desenrolar de acontecimentos seguintes. Um Verão memorável. Um filme de Alfonso Cuarón que aborda de uma forma ampla o desejo da idade do armário. Bom. Recomendo.

Vertigo (1958)



De Alfred Hitchcock. Banda Sonora mítica de Bernard Herrmann. Obsessão e mistério. James Stewart e Kim Novak.

What makes us different makes us beautiful

A família aristocrata Wilhern deparava-se com um grande problema. Uma maldição tinha caído sobre a recém-nascida Penelope, filha de Franklin e Jessica, nasceu com cara de porco. Na altura fora um imerso problema sem fim, a mãe da pequena Penelope privara-a do mundo exterior. Durante 18 anos Penelope nunca saiu de casa mas em contrapartida fora muito bem educada pelos poucos que a rodeavam. Mais tarde, quando se tornou mais madura, foram sete anos em busca do pretendente ideal que rompesse a maldição e trouxesse a verdadeira aparência de Penelope de volta. Para isto acontecer teria que encontrar alguém que a amasse fielmente. Um conto original escrito por Leslie Caveny e realizado por Marc Palansky. Com Christina Ricci, James McAvoy, Catherine O’Hara, Reese Witherspoon e Richard E. Grant. Tem bocadinhos de magia.