"you know, for kids"

Esta comédia entre o génio e a desgraça de Norville Barnes (Tim Robbins), o inventor do Hula-Hop, toma lugar em Nova Iorque no ano de 1958. Quando Barnes consegue finalmente arranjar emprego, começa na Hudsucker Company onde mais tarde Sidney (Paul Newman), seu patrão, acredita verdadeiramente na sua ideia rabiscada numa folha com apenas um círculo desenhado. “The Hudsucker Proxy” é um filme dos irmãos Cohen mas excepcionalmente recomendo-o a quem gostar de comédias diferentes e os tons dos anos 90 (filme datado do ano 1994).

The only thing more dangerous than the line being crossed, is the cop who will cross it.

Jake (Ethan Hawke) está no seu primeiro dia de trabalho. O seu novo chefe, Alonzo (Denzel Washington), diz-se fazer parte da polícia secreta mas pouco a pouco neste dia de treino, Jake começa a perceber os sinais de que este dia é um teste de sobrevivência. Washington ganhou o Óscar de Melhor Actor no Papel Principal pela personagem “Alonzo”, por mim até podia ter ganho o prémio por outro papel qualquer noutro filme. Ele é um dos melhores actores da história do cinema. “Training Day” é um filme de Antoine Fuqua e David Ayer. 5 estrelas.

Whatever Works

A fórmula fantástica – o humor de Woody Allen + Nova Iorque = um bom filme. “Whatever Works” é um dos resultados desta combinação. Boris (Larry David) não é plenamente entendido mas defende as suas ideias e crenças com garra. Quando aparece Melody (Evan Rachel Wood), uma jovem proveniente do Mississípi, Boris decide ajudá-la a estabelecer uma nova vida em Nova Iorque. Mas isto é só o princípio de uma história que inspira a eterna moral: mudar é importante. Uma discussão psíquica inteligente entre o filme e o espectador, a musica amorosa ocasional e sempre um tom paródico… mas com classe. Existe um coração em cada filme de Woody Allen. E eu adoro.

I’m Not There

Tem sido um pouco difícil expressar claramente o meu ponto de vista sobre este filme de Todd Haynes. Inspirado pelas músicas e pelos múltiplos contrastes da personalidade de Bob Dylan; Cate Blanchett, Ben Whishaw, Christian Bale, Heath Ledger, Richard Gere e Marcus Carl Franklin encarnam os seus sonhos, pensamentos, pesadelos, loucura, a sua vida. Ele era mais que um, diferentes formas de expressão num só ser humano. Multi-Único.

Driving Miss Daisy

Bastante sintético e apurado, a obra teatral e argumento de Alfred Uhry fez de “Driving Miss Daisy” vencedor do prémio Pulitzer e também galardoado com quatro Óscares. Realizado por Bruce Beresford, Morgan Freeman, Jessica Tandy e Dan Aykroyd brilham nesta comédia dramática típica do final dos anos 80.
Quando Miss Daisy (Tandy) tem um pequeno e inofensivo acidente de carro, o seu filho (Aykroyd) sugere que esta tenha um motorista. Apesar da teimosia e casmurrice da mãe, Hoke (Freeman) é contratado e está pronto a ajudar Miss Daisy, o problema é o seu feitio. Um filme bonito sobre a amizade simples e humana. E claro, Hans Zimmer no seu melhor.