Nowhere Is Safe


Dizem que à terceira é de vez e por vezes é bem verdade. Há cinco anos que não gostava tanto de um filme da saga Harry Potter como hoje. Com a escolha de David Yates para realizar o quinto livro e posteriores não me deixou muito animada. Confesso que não sou particularmente fã do realizador. O meu descontentamento sobrepôs-se à história mal contada visualmente e que por mais que amássemos as personagens parecia que a pouco e pouco um projecto tão especial, baseado nas obras de J.K. Rowling, ia perdendo a magia no grande ecran. Mas felizmente esta primeira parte “Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 1” surpreendeu-me pela positiva (possivelmente pelo simples facto da história estar dividida em duas partes). Denota-se uma narrativa demorada, acção comprometida à sua função e garante que a fórmula Harry Potter volta ao seu elemento natural. Sem esquecer a afirmação clara de um crescimento, evolução, mudança no mundo da magia onde Harry, Ron e Hermione se encontram. O caos está instalado. Merece ser visto com bons olhos. Este é meio caminho para o fim de uma era e tenho um orgulho particular em fazer parte desta época. Espero que sintam o mesmo.




PS – e para quem não sabia: Há um português em hogwarts
Enviar um comentário