Gake no ue no Ponyo

Inspirado no conto de Hans Christian Andersen “The Little Mermaid”, a nova obra de Miyazaki é simples de compreensão e absolutamente exorbitante ao olhar. Quando um pequeno rapaz de 5 anos, Sosuke, encontra um peixe preso num frasco à beira-mar, decide chamar-lhe Ponyo. Ambos nutrem uma amizade imediata. Tanto que Ponyo deseja ter pernas para andar, foge imediatamente do fundo do mar, acabando por transformar-se em humana. Mais tarde terá de ajudar Sozuke a encontrar a sua mãe, Lisa. Um filme que já foi comparado inúmeras vezes com “My Neighbour Totoro”… opiniões à parte, acho que são dois mundos diferentes mas contém algumas parecenças. Conclusão: Hayao Miyazaki é o mestre na sua arte e é capaz de fazer sonhar outras gerações.

Once upon a time in Nazi occupied France...

Tarantino comprometeu e conseguiu. Após muitos meses de espera, tantos fãs, como eu, não podiam esperar mais por “Inglourious Basterds”. O resultado após o visionamento no cinema não podia ser melhor. “Inglourious Basterds” é hardcore, sarcástico e tão violento o quanto estamos habituados. Num processo de escrita de ideias para a construção do guião que demorou 10 anos (este projecto fora intercalado com “Jakie Brown” e “Kill Bill Vol. I & Vol. II”), seguidos de oito meses de rodagens, este novo filme de Tarantino vale mesmo a pena. (se quiserem procurar uma opinião/critica mais coerente, visitem os links do vosso lado direito… porque não gostar de Quentin Tarantino é mesmo difícil).


yes, i'm back

...mas as férias ainda não acabaram. Falta uma viagem, dois festivais de cinema e outros momentos reservados para a euforia social e particular. cumprimentos