The Curious Case of Benjamin Button



Nasceu depois da Primeira Guerra Mundial, era um bebé feio com aspecto velho e bizarro. Foi abandonado à porta de um lar de idosos. Queenie (Taraji P. Henson), uma das funcionárias do lar, recebeu-o de braços abertos mesmo que Benjamin tivesse pouco tempo de vida, ela dizia que ele era “especial”.
Tal como um quadro, estas imagens de David Fincher ficam incrivelmente marcadas na nossa mente, o começo do seu novo projecto promete a história de uma vida que estabelece uma relação parcial com o tempo. Benjamin Button (Brad Pitt) aceitou o destino, vivia um dia de cada vez, o tic tac do relógio não interessava. Apaixonou-se à 1ª vista por Daisy (Cate Blanchett), uma bela bailarina. Com o passar do tempo, Benjamin chegou à conclusão que afinal ia viver longos anos como todos os seres humanos, a diferença é que o seu aspecto de um homem de idade ia ser bem diferente do que o habitual... mas as aparências iludem. Nunca se sabe o dia de amanhã. Daisy e Button reencontraram-se, e não foi por mero acaso. Tiveram uma filha e desde então a vida deu muitas voltas, até uma cama de hospital onde Caroline (Julie Ormond), a filha de Daisy lê o diário de Button à mãe já doente, que espera pela hora de partir, aí reconhece-se as lições aprendidas com as pessoas que se cruzaram no nosso destino. E no fim de tudo, a vida não são horas, minutos, nem segundos, são momentos. 5 estrelas.
Enviar um comentário