Bridge to Terabithia


Jesse (Josh Hutcherson) e Leslie (AnnaSophia Robb) são pré-adolescentes, sobrevivem na escola secundária e tentam perceber o mundo difícil dos adultos. Ambos têm uma paixão em comum: correr sem parar até ser maior que os problemas. Mais tarde, o poder da imaginação e os talentos dos dois jovens irão criar Terabithia, um mundo de aventuras e descobertas que só Leslie e Jess acreditam na sua existência. Nesta história para lá dos limites da imaginação de Katherine Paterson, Gabor Csupo conseguiu um filme exemplar com marca Disney registada em parceria com a Walden Media. Gostei.“Para toda a família”. 3 estrelas.

The Only Thing Greater Than the Power of the Mind is the Courage of the Heart

Uma história humana sobre o génio, a loucura e o reconhecimento. A devoção de um ser humano que afastou John Nash da doença mental: a esquizofrenia. O mito matemático John Nash, para além de ter ganho o prémio Nobel em 1994, existe um percurso de vida duro antes dessa mesma data, antes dos aplausos. Este filme dirigido por Ron Howard, produzido por Brian Gazer e contando com o argumento de Akiva Goldsman, baseado na biografia escrita por Sylvia Nasar sobre coragem, amor e triunfo na vida de John Nash e de Alicia Nash, onde juntos venceram a tragédia. Enquanto luta contra as repentinas paranóias, alucinações, contra todas as ilusões que a sua mente possa causar, a relação envolvente entre o percurso da personagem e o publico é tão próxima que como espectador, conseguimos ter percepções sobre este problema, nunca o conseguiremos entender, a não ser que conheçam o caso sem ser por um ecran. Como de costume, não vou escrever a história de John e Alicia Nash aqui. Esta é a prova verídica do cinema: a 7ª arte tem como função divulgar histórias como esta, sensibilizar as pessoas, sobretudo divulgar. Para além de uma excelente caracterização das personagens, Russell Crowe ultrapassa completamente as expectativas, Jennifer Connelly também deslumbrante. Se comprarem o DVD de “A Beautiful Mind”, irão ver que os extras valem a pena. Nomeado para 8 Óscares da Academia, vencedor de 4 estátuas douradas, incluindo Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado. Até parece que depois deste trabalho intenso, Ron Howard não fez “The Da Vinci Code”, mas isso é um pequeno aparte. 5 estrelas. 4 para o filme, acrescentando uma para a interpretação brilhante de Crowe.

World Soundtrack Awards 2008 - the winners

FILM COMPOSER OF THE YEAR:

JAMES NEWTON HOWARD: "Charlie Wilson's War", "Michael Clayton", "I am Legend"


BEST ORIGINAL SCORE OF THE YEAR:

"Atonement" by DARIO MARIANELLI


BEST ORIGINAL SONG WRITTEN DIRECTLY FOR FILM:

'Down to Earth' FROM "Wall-e"
Music by Thomas Newman and Peter Gabriel, lyrics by Peter Gabriel, performed by Peter GabrielDISCOVERY OF THE YEAR:

MARC STREITENFELD for "American Gangster"


LIFETIME ACHIEVEMENT AWARD:

ANGELO BADALAMENTI


PUBLIC CHOICE AWARD:

Tuur Florizoone: Moscow, Belgium


SABAM AWARD FOR BEST BELGIAN YOUNG COMPOSER:

CEDRIC MURRATH



More info: http://www.worldsoundtrackacademy.com/

Waiting for...

Nick and Norah's Infinite Playlist

?!


Envergonhei-me.
Encolhi-me.
Foi sem intenção.
Apenas aconteceu.
Perturbou-me,
Naqueles olhos vi o que poderia ser.
Talvez serei… e porque não tentar?

Dialogue avec mon jardinier


Numa tarde agradável, uma surpresa agradável invade a casa de “Duprinceau” (Daniel Auteil), um velho amigo que traz lembranças da infância que passaram juntos, “Dujardin” (Jean-Pierre Darroussin), oferece-se para preencher o lugar do novo jardineiro da casa do pintor. Um filme com base no diálogo, Jean Becker mostra o lado parisiense e o lado campestre de França. 3 estrelas.

quando vi nem quis acreditar...

Starbucks abre em Lisboa em 2008 e já está a recrutar pessoal


A Starbucks, a maior cadeia norte-americana de cafés, vai abrir as primeiras lojas em Portugal já a partir do próximo ano. A cidade para testar o modelo de negócio foi, naturalmente, Lisboa. Em curso está já o processo de recrutamento de pessoal.

A empresa, que conta com mais de 15 mil lojas em todo o mundo, anunciou recentemente, na apresentação de resultados do exercício de 2006/2007, que prevê abrir 900 lojas fora dos Estados Unidos no próximo ano, incluindo as primeiras na Argentina e em Portugal. O DN tentou obter informações acrescidas sobre o plano de expansão para Portugal, mas não obteve resposta.

No exercício que terminou a 30 de Setembro, a Starbucks abriu 2571 lojas, a uma média de sete estabelecimentos por dia. Para a entrada no mercado argentino a Starbucks criou a Caffe Sirena SRL, uma joint venture em associação com os mexicanos da Alsea SA. A Starbucks, empresa com sede em Seattle, opera já no Brasil, Chile, Peru e Porto Rico e emitiu um comunicado dando conta que a primeira loja na Argentina deverá abrir em Buenos Aires no segundo semestre de 2008.

Presente em Espanha desde 2004, através do grupo Vips, com o qual tem uma parceria a 50%, a Starbucks tem também em vista a expansão do negócio nos próximos anos no país vizinho. De acordo com notícias recentes publicadas pelo El País, a cadeia pretende "abrir lojas em todas as cidades", alavancando assim o seu êxito em Madrid, Barcelona, Sevilha e Valência.

A garantia é dada por Álvaro Salafranca, administrador delegado da empresa em Espanha, que assegura que o conceito está a ser um sucesso no mercado. No total estão em funcionamento 67 lojas que empregam 800 pessoas. E em breve haverá Starbucks por todo o país. "Quando pudermos abriremos em novas cidades. Não será um crescimento precipitado porque precisamos de procurar as pessoas certas, prepará-las adequadamente e surpreender com um produto excelente", afirmou Salafranca.

A empresa recusou-se a divulgar valores da sua facturação em Espanha, com o administrador delegado a garantir apenas que a operação está a decorrer "muito bem". O objectivo da companhia é que o cliente, assim que conhecer a marca e se familiarize com ela, tenha sempre um Starbucks à mão. com Agências

ILÍDIA PINTO
DIREITOS RESERVADOS (imagem)

fonte - DN

Superbad

É certo e prometido que das produções de Judd Apatow só vêm filmes do bom e do melhor novo tipo de humor que começa a renascer no cinema. Um humor de uma nova vanguarda com bastante palavreado próprio. Este filme ascendeu inúmeros talentos como Jonah Hill, Michael Cera e Christopher Mintz-Plasse, os quais encarnam Seth, Evan e Fogell, 3 adolescentes no ultimo dia de aulas do secundário, apos terem sido convidados para uma festa, estes comprometem-se a levar as bebidas alcoólicas, a partir daí cabe a Greg Mottola, o realizador do filme e a Seth Rogen (actor de “knocked up” que também contribuiu para o argumento de “Superbad”) que vos contem o resto da peripécia. Um filme consumível, não tão ao estilo de MTV, género “Napoleon Dynamite”, (pessoalmente fiquei desiludida com o filme mas não com a prestação de Jon Heder). Este não é desses… pode ter um bocadinho aspecto MTV mas aguenta-se. 3 estrelas.

Intelligence is relative

Diversas opiniões, muitas criticas, a verdade é que também não sei o que achar do novo produto dos The Coen Brothers. Esta história emaranhada nas vidas de Harry, Linda, Osbourne, Katy e Chad leva ao envolvimento dos serviços secretos em torno de um CD misterioso. “Burn After Reading” é para quem gosta da dupla Ethan/Joel Coen e também do elenco de luxo: George Clooney, Tilda Swinton, Brad Pitt, Frances McDormand, John Malkovich e J.K. Simmons. 3 ou 4 estrelas?

The true story of a real fake

Até à data não existe nenhum filme realizado por Steven Spielberg que não tenha gostado, deixo já aqui a nota que não costumo escrever sobre todos os filmes que vejo (ou revejo), estes comentários/criticas cinematográficos acontecem espontaneamente conforme o tempo, disposição entre outros factores. Mas vamos ao que interessa, “Catch Me If You Can” é um filme baseado na história verídica de Frank Abagnale Jr., Leonardo DiCaprio interpreta um jovem de 16 anos que após o divórcio dos pais foge de casa, tirando proveito da sua prenda de aniversário, um livro de cheques, Frank depressa aprende a falsificar todo o tipo de burocracia fazendo-se passar por inúmeras pessoas, adquirindo novas identidades. Obviamente que mais tarde ou mais na cedo, na América, todas as fraudes são descobertas e investigadas a fundo, neste caso, será Carl (Tom Hanks), um agente do FBI a comandar esta caça ao homem. Um bom filme com 2 nomeações para os Óscares (Melhor Actor Secundário – Christopher Walken e Melhor Banda Sonora – John Williams). 4 estrelas.

Caloira


Como podem perceber, a universidade agora faz parte do dia-a-dia. Estou prever que não irá restar muito tempo para o “Take 4”, mesmo assim, não o vou fechar. Vou tentar manter o cinema, as emoções e todo o resto para este blog. Lamento se este espaço se tornar monótono, vou tentar fazer o meu melhor. Cumprimentos :)