"ela vive ao sabor do vento"

grita por liberdade...



faz parte do seu verdadeiro ser.




corre sem obstáculos.




curiosa.





ninguém saberá o quanto ela voa. nunca.

Pirates of the Caribbean: At World's End

Este aqui não vai ao fundo. De um lado temos muitas opiniões variadas e do outro temos a nossa opinião ou talvez a opinião dos supostos críticos. De qualquer modo, aqui têm uma espécie de review:
A terceira (e ultima parte?) da saga “Pirates of the Caribbean” é nos entregue como algo de excepcional, na forma de como o “swash swash buckle buckle” progrediu de filme para filme alcançando um género de aventura descoordenado (o que desde já funcionou bastante bem, sendo insaciável). Digamos que com esta trilogia, o mundo mudou de ideias em relação às lendas/histórias de piratas e deu não uma segunda, mas duas oportunidades para a surpreender. O resultado está à vista, neste 3º capitulo mais “escuro” do destino dos nossos protagonistas; Jack Sparrow é um espectáculo (graças ao virtuoso Johnny Depp), Will Turner, um corajoso, doce rapaz (Orlando Bloom encaixa perfeitamente) e por fim, Elizabeth Swann, a personagem intuitiva que procura por desafios (interpretada por Keira Knightley). Tendo alguns trunfos no seu historial (realizador de “The Ring” e “The Weather Man”), Gore Verbinski completa a sua primeira trilogia de uma forma simbólica… era capaz de eleger esta como uma das melhoras trilogias dos últimos dez anos.
Pontos de vista? Visualmente inacreditável (quanto maior for um filme de Jerry Bruckheimer, melhor), humor comum concordante com os outros dois filmes, uma historia tão-somente interessante e as performances emocionanates de cada um. Muito sinceramente? Vale a pena..
Ah! Aqui fica o “resumo”: Will, Barbossa e Elizabeth estão unidos na batalha para salvarem o extraordinário e excêntrico Capitão Jack Sparrow da “armadilha” de Davy Jones, enquanto este e o seu navio assombrado espalham a destruição pelos oceanos. A sua aventura leva-os até Singapura, onde terão de enfrentar o pirata chinês Sao Feng. A caminho dos confins do mundo, cada um terá de escolher o seu destino numa batalha final titânica.





Take what you can. Give nothing back!

Música no Coração, versão La Féria


No palco do célebre teatro Politeama, temos “Música no Coração”; troca-mos Julie Andrews por Anabela/Lucia Moniz, Christopher Plummer por Carlos Quintas, continuando alternando os actores do filme de 1965 com os artistas de Filipe La Féria alcançando o suposto épico teatral de tamanha obra. Baseado no livro “The Story of the Trapp Family singers”, La Féria teve a oportunidade de dirigir tamanho acto com a ajuda de Lauro António ou até tamanhos senhores como Richard Roger e Óscar Hammerstein e claro, Howard Lindsay e Russel Crouse. Com centenas de adaptações, inúmeros galardoes arrecadados, “Musica no Coração” nunca será esquecido através das suas adaptações para o palco e claramente pelo memorável filme de Robert Wise.

Life is Beautiful - La Vita è Bella



Nomeado para 7 Óscares da Academia, “A Vida é Bela” é algo exorbitante. Dos 3 Óscares que arrecadou (na cerimónia de 1999) merece-os todos: Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Actor e Melhor Banda Sonora (neste caso dramática).
Nesta extraordinária fábula, Guido (Benigni), um inocente empregado de mesa dotado de uma colorida imaginação e de um irresistível sentido de humor, conquistou o coração da mulher que ama e criou uma vida maravilhosa para a sua jovem família. Mas, com a 2ª Guerra Mundial, essa vida desmorona-se e Guido tem de socorrer-se das suas melhores armas para salvar aqueles que mais ama de um destino fatídico. E não digo mais nada. Vejam este clássico de Roberto Benigni. Unico. Vale a pena.






Guido: Buon giorno, Principessa!


Os desta Semana



"Snow Cake" é o drama de uma relação pouco ortodoxa entre um homem que foge ao passado, uma mãe autista que sofre pela morte da sua filha e uma mulher apaixonante que vive um amor à distância. Esta história de amor e amizade é-nos dada por Marc Evans. O destaque: a interpretação de Sigourney Weaver/Alan Rickman.





Este é o Thriller do mês, de David Fincher (realizador de "Panic Room", Se7en" e "Fight Club") chega-nos um filme baseado em factos reais que nos leva a conhecer um serial killier: “Zodiac”. Actuaou na baía de São Francisco matando indiscriminadamente cidadãos inocentes e atormentando a polícia e a imprensa com cartas, pistas e criptogramas. Dois polícias e dois jornalistas ficaram especialmente obcecados com o intrigante caso e decidem-no investigar a fundo chegando ao ponto de colocarem em risco as suas carreiras.

Jellicle Songs for Jellicle Cats

Are you blind when you're born? Can you see in the dark?
Can you look at a king? Would you sit on his throne?
Can you say of your bite that it's worse than your bark?
Are you cock of the walk when you're walking alone?




Because Jellicles are and Jellicles do
Jellicles do and Jellicles would
Jellicles would and Jellicles can
Jellicles can and Jellicles do






(foto: Sintra . letras: Andrew Lloyd Webber - Cats )

3 em 3

Spider-Man 3 :

Eis que chega a 3ª parte da aventura de subir e descer paredes do protagonista Peter Parker (Tobey Maguire). Finalmente, quando Peter Parker consegue atingir o equilíbrio entre a sua devoção a Mary Jane (Kirsten Dust) e os seus deveres de super-herói, algo de estranho acontece, o seu fato escurece, os seus poderes são reforçados, trazendo à superficíe o lado mais negro e vingativo da sua personalidade que luta por assumir o controlo. Peter terá que enfrentar os seus demónios pessoais e vencer dois dos mais temíveis vilões que até agora encontrou, Sandman (Thomas Haden Church) e Venom (Topher Grace). Para quem tem acompanhado a "saga"... e porque não ver o 3º ?






Shortbus :
"Shortbus" é uma comunidade alternativa de nova-iorquinos que oferece a liberdade do ser e do estar emocional e sexual de seja lá quem tiver a mente aberta para lá entrar. É possível arranjar novos amantes, héteros ou gays, participar de orgias e fazer amizades. Um dos personagens descreve "Shortbus": "é como os anos 60, só que sem esperança". Uma outra personagem, uma terapeuta de casais (Sook-Yin Lee), analisa relações alheias, embora ela mesma nunca tenha tido um orgasmo. Um filme curioso.





O Mistério da Estrada de Sintra :
Dois escritores no Verão de 1870 criam um policial ímpar. Onde a dúvida e o real é posto em causa, Eça de Queirós (Ivo Canelas) aceita o desafio de Ramalho (António Cerdeira) escrever um folhetim a quatro mãos para o Diário de Notícias. Será que a história que pensava ser fruto da ficção, pode ser baseada num caso real?
Um filme bem português com qualidade histórica (já não era sem tempo!).

Momento


Onde tudo pode acontecer,
o que raramente podes alterar.
Nada é o que parece…

Todas as situações ficam reduzidas a cada instante do teu olhar,
Aquela fracção de tempo tão única, subsiste.

(L)